Histórico

A 26 de Maio de 1986, uma multinacional de prestígio na área da informática, a CONTROL DATA CORPORATION - associa-se a uma das maiores empresas portuguesas utilizadora de meios informáticos quase únicos em Portugal na época - os CTT/TLP - para criarem uma empresa inovadora no ensino das tecnologias de informação. Desta associação nasceu o ITA INSTITUTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS PARA A FORMAÇÃO, LDA., tendo por objeto social; Formação por Tecnologias Avançadas;

A metodologia adotada - ensino assistido por computador - teve por base a utilização das tecnologias de informação como suporte pedagógico. De Julho de 1986 a Julho de 1989, o ITA formou centenas de técnicos e utilizadores de informática que iniciaram ou melhoraram as suas carreiras profissionais em resultado da ação formadora do Instituto de Tecnologias Avançadas para a Formação, Lda.

A certeza de poder proporcionar a muitos jovens uma carreira profissional de futuro na área das tecnologias de informação levou os quadros dirigentes do ITA na época (atuais gerentes), a propor a criação de um estabelecimento de ensino superior politécnico. Deste modo o ITA - INSTITUTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS PARA A FORMAÇÃO,LDA solicitou ao Ministério da Educação e obteve reconhecimento de estabelecimento de ensino superior politécnico para o ISTEC – Instituto Superior de Tecnologias Avançadas pela portaria n.º 990/89 de 16 de Novembro tendo por objetivo ministrar ensino superior na área da informática ou em áreas em que a importância da informática seja fundamental em dois pólos regionais centrados em Lisboa e no Porto.

Pela mesma portaria foi autorizado o funcionamento de um Curso Superior de Informática conferindo o grau de bacharelato a partir do ano letivo de 1989/90 nas suas instalações em Lisboa, e um ano mais tarde, pela Portaria 873/90 de 20 de Setembro, nas suas instalações do Porto. Procurando dar resposta ao desenvolvimento das TIC, o ITA solicitou ao Ministério da Educação autorização de funcionamento no ISTEC de Lisboa e reconhecimento com grau de bacharelato de um Curso Superior de Engenharia Multimédia, autorizado pela portaria 582/96 de 16 de Outubro. Entretanto foi autorizado pelo Ministério da Educação o funcionamento no ISTEC-Porto do referido Curso Superior de Engenharia Multimédia, a partir do ano letivo 1998/1999.

O ITA é uma entidade formadora acreditada pela DGERT desde 1998, tendo sido vista a sua certificação aprovada em 2012, nas seguintes áreas de formação:

 146 – Formação de professores e formadores de áreas tecnológicas

 213 – Audiovisuais e produção dos media

 345 – Gestão e administração

 481 – Ciências informáticas

Desde que foi acreditado, o ITA tem vindo a registar um crescimento ao nível da atividade formativa que desenvolve, fruto da intervenção que tem vindo a desenvolver no âmbito da formação em regime de e-learning.

A empresa orienta toda a sua atividade a um público-alvo de todo o país, possuindo instalações, neste momento, em Lisboa e no Porto.

Em vários outros locais do país, o ITA tem vindo a desenvolver protocolos de colaboração com diversas entidades, no âmbito da Formação a Distância, com vista a abranger o maior número de pessoas e empresas, possível.

A atividade do ITA abrange exclusivamente a formação profissional, dirigida para o mercado.

Conforme evidencia o objeto social do ITA, a atividade da empresa abrange:

 Ensino Superior CTeSP´s | Licenciaturas - Instituto Superior de Tecnologias Avançadas;

 Ensino Profissional 12ºAno - Instituto Profissional de Tecnologias Avançadas;

 Formação por Tecnologias Avançadas

A principal característica no desenvolvimento da sua atividade, passa pelo recurso a tecnologias de informação e comunicação ao nível avançado, de suporte às ações de formação, pela utilização de metodologias e práticas de formação à distância.

A formação profissional envolve quase em exclusivo a atividade do ITA e está revelada no seu objeto social.

A atividades desenvolvida pelo ITA no âmbito da formação profissional visa satisfazer as solicitações dos clientes, traduzidas em uma ou mais necessidades na área de formação, podendo ser desenvolvido sob os seguintes domínios de intervenção:

A. Conceção de Intervenções, Programas, Instrumentos e Suportes Formativos

Definindo objetivos, conteúdos programáticos, duração e documentação de apoio para cada ação de formação.

B. Organização e Promoção das Intervenções ou Atividades Formativas

Preparando a realização das ações de formação.

C. Desenvolvimento/ Execução de Intervenções ou Atividades Formativas

Realizando ações de formação, de acordo com o previsto.

No que se refere ao público-alvo aos quais se dirigem as intervenções formativas, estas dependem da modalidade de formação em causa. Numa abordagem geral, podemos dividir em dois grandes grupos:

 Por um lado a Ativos Empregados, que recorrem à formação através das próprias empresas, ou então por iniciativa própria.

 Por outro lado a Desempregados (à procura do 1º ou de novo emprego).